Simone Biles: seu legado transcende o esporte

Simone Biles certamente é uma das principais atletas na atualidade. Não só pelos seus feitos nos ginásios, mas também por seu comportamento fora deles. Seu exemplo transcende seu talento na ginástica e influencia pessoas além da bolha do mundo esporte.

Simone Biles: seu legado transcende o esporte

Provavelmente quase todo mundo conhece ou já ouviu falar dos feitos esportivos da ginasta dos Estados Unidos, Simone Biles. Cinco vezes campeã mundial, dona de sete medalhas olímpicas (4 ouros e um bronze nos Jogos do Rio em 2016, uma prata e outro bronze em Tóquio 2020). Fantástico para uma atleta de 24 anos.


Abuso sexual

A vida dessa jovem mulher tem sido marcada por momentos de muito sofrimento psicológico. Recentemente Simone Biles e outras vítimas de abusos sexuais do médico Larry Nassar deram depoimentos fortes no Senado dos EUA. Biles destacou corajosamente a omissão da Federação Americana de Ginástica.

“Ninguém fez o que era necessário pra nos proteger. Falharam conosco”.


“A USA Gymnastics e o Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC) sabiam que fui abusada pelo médico oficial da equipe muito antes de eu saber do conhecimento deles. Sofremos e continuamos sofrendo. Eu culpo Larry Nassar e também culpo todo um sistema que permitiu e perpetrou seu abuso”

Ao relatar seu sofrimento ela ajuda a encorajar não só atletas mas qualquer outra mulher que tenha passada por questões semelhantes a denunciar violências de todos os tipos.

Aqui no país, Joanna Maranhão, ex-nadadora olímpica, também vítima de abuso, reforça a importância do depoimento de Biles:

‘Abusos sexuais acontecem e são mais frequentes do que imaginamos porque existe um sistema pronto para proteger abusadores. Dele fazem parte todos aqueles que se omitem diante de uma denúncia, que duvidam e descreditam as palavras das vítimas ou que subestimam o trauma delas. É preciso entender tudo isso para combater esse problema tão grave, e que ainda é tratado como tabu no esporte, onde as vítimas ficam ainda mais vulneráveis porque às vezes são levadas a pensar que aquilo é “parte do processo” de se tornar uma atleta profissional. ‘

Racismo


Simone é um símbolo para a comunidade negra, para o empoderamento feminino, uma das poucas atletas de um esporte predominante branco e elitista. Certamente, enfrentou problemas relacionados ao racismo ao longo de sua carreira, justamente por ser exceção e transgredir. Tendo de adquirir força e resistência mental para lidar com esse adversário dos mais perversos.

Admitir vulnerabilidade há muito tempo é uma contradição para os negros que lutam para vencer em todos os tipos de ambientes hostis, incluindo o esporte. Talvez, isso está mudando. Biles é parte de um capítulo novo do ativismo negro que está elevando a reflexão pessoal e o autocuidado sobre questionamento emocional e a resiliência que há muito tem sido uma característica da luta negra e do sucesso negro.

Simone é um ícone que está influenciando meninas negras em todo o mundo com seu exemplo de coragem e enfrentamento, inclusive ao demonstrar seus fragilidades emocionais.

Simone Biles: seu legado transcende o esporte

Saúde Mental

O mundo talvez tenha despertado para algo que nós psicólogos do esporte já gritamos a décadas. A saúde mental é tão fundamental para os atletas quanto suas capacidades físicas e técnicas. A regulação emocional em competições da magnitude dos Jogos Olímpicos é primordial para uma boa performance.

Certamente o exemplo de Simone Biles irá inspirar outros atletas a olhar para sua própria saúde mental de outra maneira e com o devido respeito. O meio esportivo tem de levar em conta definitivamente essa questão. Sem negligenciar os aspectos psicológicos e emocionais de todas as pessoas envolvidas com o esporte, sejam atletas, treinadores ou membros de comissões técnicas. 

Que bom que a ginasta, Simone Biles, teve a coragem de expressar suas angustias em continuar competindo por não conseguir estar suficientemente segura.

“Minha mente e corpo simplesmente estão fora de sincronia. Não acho que vocês entendem quão perigoso isso é nas superfícies de competições duras. Eu não preciso explicar porque coloquei a saúde em primeiro lugar”.

A ginasta diz não se arrepender de ter desistido da competição. Como sobrevivente de abuso, ela quer ser exemplo para que outras mulheres se sintam encorajadas.

“Como uma mulher negra, você sempre tem que ser impecável. Mas ao final do dia, de que isso importa? Se você cuidar primeiro de seu bem-estar mental, o resto vai se encaixar”

 O engajamento em tantas questões sociais de uma atleta dessa grandeza é muito importante para a compreensão da sociedade, já que ela consegue ter um poder de impactar diversas pessoas, de diferentes idades.

O exemplo de Biles transcende o esporte, ela trás consigo muitos símbolos conectados aos diversos tipos de empoderamento e faz com que as pessoas possam refletir e quem sabe mudar de comportamento.

Obrigado Simone, por trazer tanta lucidez em tempos tão obscuros !!!

Referências:

https://www.uol.com.br/esporte/ultimas-noticias/2021/09/27/deveria-ter-desistido-antes-de-chega-a-toquio-dz-simone-biles.htm?utm_source=facebook&utm_medium=social-media&utm_campaign=esporte&utm_content=geral&fbclid=IwAR3hnWAU3whnSnOkAhNcJ-psIqW1nhNiu1gf5pGJnoH7QYn_LlFUMBCP4YE&cmpid=copiaecola



https://www.boston25news.com/news/trending/simone-biles-lands-vogue-cover-discusses-black-lives-matter-protests-olympics-plans/MAYY7BKLXRETTJSBOKF2ESTS64/

https://www.politico.com/news/magazine/2021/07/29/simone-biles-and-the-new-black-activist-athlete-the-one-who-says-no-501675
*

Abraços …

Até !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *