Arquivo da tag: Assuntos afins

Muito além do peso

O post de hoje é para divulgar o documentário, “Muito Além do Peso“. Veja o vídeo no link http://www.muitoalemdopeso.com.br/ Vale a pena assistir e refletir sobre o estilo de vida que estamos proporcionando as nossas crianças. A obesidade infantil é uma triste realidade que está se tornando uma epidemia em todas as classes sociais.

 

Continue lendo

Breno

Semanas atrás surgiu a noticia da prisão do jogador Breno, condenado a três anos e nove meses pela justiça alemã por ter incendiado sua própria casa, em Munique, em setembro de 2011.

Particularmente não vi e nem ouvi na mídia de modo geral uma discussão aprofundada sobre o tema, que penso ser de extrema importância. Não só por se tratar da prisão do atleta, mas sim do contexto do ocorrido, das suas consequências e até das possíveis prevenções, justamente para que esse episódio triste não se repita com outras pessoas, com outras jovens promessas de nosso esporte. Continue lendo

A caixa de Brinquedos

O post de hoje é um texto de Rubem Alves. Conheci essa crônica numa das aulas do curso que estou fazendo, “Esporte, Competição e Desenvolvimento Humano”, do PRODHE (Programa de Desenvolvimento Humano pelo Esporte), no qual está sendo um tanto “uti”, quanto “frui” para o desenvolvimento da minha prática profissional. Portanto, compartilho com os leitores um momento de reflexão e alegria …

O inglês e o alemão têm uma felicidade que não temos. Têm uma única palavra para se referir ao brinquedo e à arte. No inglês, play. No alemão, spielen.  Arte e brinquedo são a mesma coisa: atividades inúteis que dão prazer e alegria.  Poesia, música, pintura, escultura, dança, teatro, culinária: são todas brincadeiras que inventamos para que o corpo encontre a felicidade, ainda que em breves momentos de distração, como diria Guimarães Rosa.

*** Continue lendo

Um esboço da nossa realidade esportiva

O texto de hoje foi publicado no blog Alberto Murray Olímpico e escrito pelo jornalista Plínio Lins. Gostaria que os leitores refletissem seriamente a respeito.

“Eu nunca estive em Cuba, como certamente a quase totalidade dos que estão lendo isto aqui. Mas procuro me informar com fontes em que é possível confiar.
Agora, amigo, se a sua referência para se informar sobre Cuba (e outros assuntos) é a Globo, então esqueça”

***

Outro dia comentei sobre a questão do esporte brasileiro depois da ida de Aldo Rebelo para o ministério. Foi sobre a confusão das ONGs. Prometi voltar ao assunto. Então vamos lá.
Os Jogos Pan-Americanos servem para mostrar, a cada quatro anos, como o Brasil está situado no esporte em relação aos outros 45 países das três Américas e do Caribe, nossos vizinhos do lado de cá do Atlântico.
Agora no Pan 2011, ficamos em terceiro lugar em medalhas de ouro. Só fomos superados pelos Estados Unidos e por… Cuba, novamente.
Conquistamos 48 ouros. Eles, 58.
E olhem que desde 1971 (há 40 anos), Cuba sempre esteve em segundo lugar no Pan, nunca caiu para terceiro. Somos, portanto, fregueses de caderninho deles.
Como é possível uma ilhota como Cuba superar o Brasil no esporte? Continue lendo