Arquivo da tag: Rúgbi

A bola e o arco-íris

 A bola e o arco-íris  por JOSÉ GERALDO COUTO ( Folha de S. Paulo – 06/02/2010)


O que o rúgbi do filme “Invictus” tem a dizer ao mundo do futebol sobre a superação do ódio racial


“O FUTEBOL é um esporte cavalheiresco praticado por bárbaros e o rúgbi é um esporte bárbaro praticado por cavalheiros.” A frase, piada racista muito difundida na África do Sul na época do apartheid, é citada em “Invictus”, em cartaz nos cinemas.
Como nos mostra o belo filme de Clint Eastwood, o rúgbi, introduzido no país pelos britânicos, sempre foi associado na África do Sul à minoria branca, especialmente ao seu segmento mais racista, os africâneres, descendentes dos colonizadores holandeses.
O futebol, por sua vez, era e continua sendo o esporte preferido da maioria negra, ela própria uma constelação de tribos, etnias, culturas, religiões e línguas. Continue lendo

Copa do Mundo de Rúgbi – 2011

 Video promocional da próxima Copa do Mundo de Rúgbi que será na Nova Zelândia em 2011. 

A Copa do Mundo de Rúgbi só perde em audiência para a Copa do Mundo de Futebol e para os Jogos Olímpicos.

O Rúgbi é um dos esportes mais populares do mundo, perdendo em popularidade apenas para o futebol e para o basquete.

Portanto, ano que vêm todos ligados na Nova Zelândia, casa dos All Blacks.

Mais informações veja o link  http://www.rugbyworldcup.com/

Abraços.

Até !!!

Filme – Invictus, baseado numa história real

 

Na próxima sexta-feira nos cinemas estreia o filme Invictus, que relata uma história real que tem o Rúgbi como instrumento para amenizar as diferenças entre Sulafricanos negros e brancos , logo após o término do Apartheid.
O fato se passa em 1995, ano em que a África do Sul sediou  o Copa do Mundo de Rúgbi e veio a ser a seleção campeã do torneio.
Nelson Mandela, ex- presidente Sulafricano e prêmio Nobel da Paz em 1993 (interpretado por Morgan Freeman) é o grande arquiteto dessa história. Mandela conta com a ajuda de François Pienaar (Matt Damon) ex- capitão da seleção de Rúgbi , para transformar “um time, um país”.
O filme mostra o grande potencial do esporte que pode agregar e unir pessoas e mundos tão distintos e tão desiguais, foi dirigido por Clint Eastwood.
Abaixo, parte de um especial da ESPN Americana contando a história pelos seus protagonistas e narrado pelo ator Morgan Freeman.