Um pouco de coesão de grupo vai bem ….

Esse post vai comentar sobre coesão de grupo e liderança. Depois do fiasco do selecionado francês na Copa do Mundo de Futebol, surgiu a ideia de falar sobre a importância desses aspectos para o desenvolvimento de uma equipe.

A participação da França nessa Copa do Mundo foi pífia em todos os sentidos. A começar pela liderança de seu técnico, Raymond Domenech e pela relação entre o grupo de atletas. Ao que parece, os franceses não se respeitavam e não respeitavam a hierárquia do técnico e comissão técnica.

Coesão de grupo:

Grupo é diferente de equipe. Grupo é um apanhado de pessoas que podem ou não ter um objetivo em comum. Os membros de um grupo ou de uma equipe podem tanto gostar como se sentir atraídos por outros membros.  Eles podem inclusive compartilhar alguns objetivos comuns. Portanto, há algumas características semelhantes entre membros de grupos e de equipes. Entretanto, as características peculiares fundamentais entre um grupo de indivíduos e uma equipe é a interação e interdependência entre seus elementos, especialmente no que diz respeito a objetivos  comuns e compartilhados. Ou seja, membros de equipes devem depender e apoiar uns aos outros na busca de metas comuns. Entretanto tornar-se uma equipe é na verdade um processo evolutivo de amadurecimento, que necessita de coesão.

Coesão é um mecanismo que une as ações dos membros da equipe, que coordena os esforços  para que a equipe alcance seus objetivos. É um processo dinâmico que se reflete na tendência da equipe de se manter junto e buscar  suas metas.  É o requisito mais importante para se obter sucesso e a principal característica de uma equipe vencedora.

Mais do que talentos individuais, equipes necessitam de respeito uns pelos outros. Respeito as diferenças, as regras de convívio, as hierárquias e as lideranças. Não necessariamente uma equipe vencedora necessita que todos seus membros sejam grandes amigos. Ao contrário, em muitas equipes vitoriosas de diversos esportes nem sempre os atletas se davam bem fora dos treinos e jogos, mas conseguiam compreender que a participação de todos os elementos era fundamental para a sucesso e ao alcance de suas conquistas.

Liderança:

Além da coesão para um grupo para se tornar uma equipe, a liderança têm um papel fundamental nesse processo.

Liderança é um processo necessário, de coordenação das interações e relações mútuas entre seus membros diante de objetivos e tarefas comuns.

A liderança serve para a socialização. Apresenta as regras, hábitos, costumes e habilidades socialmente desenvolvidas e aceitas pelo grupo. Indica a formação de valores, de disposições sociais e de motivações estáveis de comportamento. Aproveitando essa função os líderes podem criar um clima psicológico favorável na equipe.

Tipos de Liderança:

Há alguns tipos de liderança. A externa, exercida por alguém que não pertence ao grupo de atletas, por exemplo: o técnico, algum membro da comissão técnica ou dirigente. E a interna, exercida por alguém do grupo de atletas.

Os papéis dos lideres podem ser: autoritário, democrático, oraganizativo, permissivo, expressivo e instrumental. Esses papéis não são fixos eles podem ocorrer de acordo com o nível de amadurecimento e vínculo entres os membros do grupo, geralmente um líder exerce uma mistura de diferentes papéis.

O desenvolvimento ótimo e ideal da liderança é a diferenciação dos papéis de líder, que podem aumentar ou reduzir a capacidade do sistema para organizar-se e ordenar seus elementos.

Talvez a principal tarefa de um psicólogo do esporte inserido em esportes coletivos seja de desenvolver a coesão de grupo e lideranças positivas para que seus membros se tornem equipes. A relação entre os indivíduos de um grupo esportivo torna-se tão fundamental quantos os aspectos táticos e físicos. Um clima psicológico favorável facilita muito o trabalho de uma comissão técnica, não quer dizer que isso seja a “receita para o sucesso” ou apenas um mero detalhe. É um aspecto importante que auxilia na estrutura de uma equipe vencedora.

Referências:

Katia Rubio, (2003). Estruturas e dinâmica dos grupos esportivos, in: Psicologia do Esporte: teoria e prática. Ed. Casa do Psicológo.

Robert Weinberg & Daniel Gould, (2001). Dinâmicas de grupo e equipe, in: Fundamentos da Psicologia do Esporte e Exercício. Ed. Artmed.

Abraços.

Até !!!

Gostou? Insira o seu email para receber as atualizações do blog!

No spam guarantee.

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Uma ideia sobre “Um pouco de coesão de grupo vai bem ….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *